Animalescamente #2

Tratamento Ludovico

Não sei exatamente onde é o limite da falta de educação das pessoas. O egoísmo impera, principalmente em camadas menos instruídas. Devemos avaliar os fatores limitantes: herança familiar, impunidade e caráter. Ainda que o carater esteja diretamente relacionado à primeira ao passo em que somos o que vemos nossos pais fazerem, acho válido separar em “o que os pais fazem que dá o mau exemplo” e “o que cada individuo tira do mundo a seu redor”. Mesmo poderia incluir como categoria o ambiente. Há um limite social que as pessoas não costumam avançar mesmo sem leis para isto, dependendo da classe social, estaes limites sao mais amplos. dependendo da cultura (o ambiente) esses limites sao mais ou menos abrangentes.

Aparentemente, as regras sao feitas para os otários enquanto os malandros fazem o que querem, na certeza que não serão punidos nem sofrer pressão social. A questão da educação não torna os erros menos impunes, mas abrangem algo da inibição.

Às vezes me pergunto quanto falta para cuspirem na minha cara, jogarem lixo na minha mochila e não fumarem nos transportes. Afinal, ninguém vai reagir, ninguém pode fazer nada contra. Deve ter um fator de expectativa de pressão social maior para estes casos que para as besteiras de todos os dias, mas há muitas atitudes que me irritam e que passam batidas no dia-a-dia. (Neste exato momento, começa uma música alta numa casa das redondezas. É música crente. Mais uma vez, hipócritas que sequer pensam no próximo, egoístas, medíocres. E já começa um segundo som para concorrer. E assim, vamos nos dirigindo ao nível das favelas, com 3 ou 4 músicas altas por viela a qualquer hora do dia) Talvez haja medo, mesmo da parte que nos expõe ao medo de reagir. Talvez exista alguém que reaja e cale a boca desses desgraçados e é isso que ele teme, controlando as atitudes extremas. Ainda não cospem na cara dos outros. Não fumam com tanta freqüência nos transportes…

Encontrei um link explicando como o “mito do bom selvagem” é isso mesmo, um mito, uma bobagem, e que, pelo contrário, o selvagem é mais agressivo e é disso que estamos rodeados. Selvagens que se afiliam a alguma religião, fazendo uma troca justa, o dinheiro e a alienação por um alívio de consciência. É o alívio pela vela pro diabo que foi acesa ontem, com orgias, desgraças e violência, que agora, é compensada por uma música alta, incomodando os vizinhos, mas suficientemente alta para que Jesus Cristo ouça e perdoe seus pecados. E catequize outros fiéis, um exemplo a ser seguido, Jesus estaria orgulhoso.

Talvez eu tenha que procurar o Tratamento Ludovico, para controlar minha fúria diante dessas atitudes e me tornar mais um passivo deste mundo de merda ou, quem sabe, até ter meu comportamento moldado para me adaptar e curtir aquela farofa, aquele pagodão, a face da depressão. É uma guerra que não se pode ganhar. Não posso reagir, apenas fico tremendo de ódio diante da hipocrisia, do cinismo, do deboche… É um jogo feito pra perder.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s