Dia do Rock / “Espetacular” Homem Aranha

contém spoiller, foda-se

Essa sexta 13, acordei no primeiro dia sem aulas <<por enquanto, só que ainda tem que trabalhar>> disposto a postar sobre a cagada do 732, mas acabei procrastinando, digamos que foi por uma boa causa. Tá, procrastinar nunca tem uma desculpa que cubra a total procrastinação, porque sempre dá um tempinho, é só para, largar tudo que está em volta e escrever (como estou fazendo nesse momento, escrevi o do 732 e to escrevendo esse, que acabei que procrastinei ontem de noite porque tinha que postar aquelas fotinhas no feiçebaque)

Mas voltando à boa causa, era o fato do que, ao ligar na TV e não ter naturalmente nada pra ver (e já era 10 e pouca, acordei tarde huias-), vou aumentando o canal até achar a BOA MTV e percebi que era o DIA INTERNACIONAL DO ROCK, a programação da MTV foi totalmente excelente, deixei lá nela, depois, vim para o computador e continuei ouvindo pela interneta. Então, me foquei em prestar umas homenagens ao dia do Rock e dar um pouco de atenção às boas músicas tocadas na MTV!

cds de rock

Minha homenagem a alguns dos discos épicos

Gostei muito da vinheta da Escolinha do Detonator, uma paródia misturando Escola de Rock e Escolinha do Professor Raimundo, infelizmente não vi isso, mas torço pra que esteja ai no youtube! Mas não vi por outra boa causa!! Sair com os amiguinhos


Fomos ver o Espetacular Homem Aranha… Apesar de ter pegado um ônibus RP, estava tranqüilo, só tinha uma favelada falando alto no celular empresária terminando um negócio, mas isso não incomoda tanto. Até que tudo transcorreu bem, pulamos a fila (não sabia desse macete), fomos maltratados pela simpática atendente do setor de informática da Fnac do Barrashopping. Ela respondeu de forma estressada que ela não sabia de livros, que deviam procurar o setor de informática. Pedi desculpas e torço pra que ela não dure muito no emprego…

Vimos o firme e, apesar de já estar ciente da coisa da Mary Jane e da história ser diferente, achei que perdeu muito da essência do homem aranha nerd sofredor, começa que ele anda de skate e usa lente e você já fica QUEPORRA??? A cena da morte do tio Ben foi modificada e foi bem menos emocionante (estou sendo generoso, foi nada emocionante).

Espetacular Homem Aranha

O espetacular homem aranha, interpretado pelo brasileiro Mateus Solano

Claro que há uns momentos de “lavar a alma” em que ele bate nos valentões e cala a boca de bandidos,  e isso foi bom, juto com os efeitos, excelentes. Mas perdeu algumas coisas que foram fundamentais para eu fazer mapas mentais de sobrevôos usando teias. Não sei como é a história original, mas, entre essas duas, prefiro um milhão de vezes o homem aranha que não é espetacular, é fudido, é um nerd verdadeiro. O atual tá mais pra neo-nerd, o que é uma tendência, vai ver é isso.

Espetacular Homem Aranha

É sim, amigão. Você não tem noção de quanto é!

O que me deixa chateado é o fato de as crianças não estarem obtendo essas referências… Tá certo que sou fã a partir do desenho que passava na Globo, não lembro bem, mas acho que não tinha a história de como a coisa aconteceu. Tinha Mary Jane e o primeiro filme teve uma história tão bonita…

toda uma geração que perdeu isso

Bom, agora vou baixar os 2 primeiros filmes e ver e sossegar minha mente com a história bonita de verdade. Querem fazer um homem aranha badass, que mudem o nome pra homem papa mosca… Não destruam a infância alheia e não deixem de ensinar que, com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades! Vou tentar procurar a história original dos quadrinhos e ver se sou um grande fã poser que prefere a versão alterada à original ou se tenho realmente motivo para revolta…


E, voltando ao dia do roque, achei aqui algumas das músicas tocadas no especial MTV do dia do rock. O nível tava bom mesmo! [ver no youtube]

Marcelo Bonfá

Fatão

Legião Urbana

Some kind of monster

PS: Achei a vinheta do Detonator no Youtube:

Fechando o período em alto estilo…

Nada como fechar o semestre com uma clássica demonstração da decadência carioca e mais uma evidência de que evitar aborrecimento só traz mais aborrecimento.

Comecei o dia com o 636 fazendo suas típicas merdas, não podia ir a pé para pegar o segundo ônibus porque estava praticamente virado e com mochila pesada e achei que isso ia melhorar minha vida. Mas eu conheço bem esse 636 e sei que o serviço é top de linha das empresas daqui, só que com a linha de cabeça pra baixo e só consegui pegar o quarto que passou: o primeiro passou direto, o segundo parou e lotou (e eu não tava a fim de pegar o ônibus em movimento, já que é isso que acontece quando o motorista tem que esperar mais que 5 minutos para o embarque dos passageiros) e o terceiro passou por fora enquanto o segundo ainda embarcava. E, finalmente, quando consegui embarcar, um garoto ainda ficou me empurrando… Eu disse PERAÍ NÉ, mas claro que fui ignorado e continuou empurrando (aquele momento que eu fico meia hora conferindo meu saldo na maquininha do Riocad).

O dia foi supimpa, teve suco de maracujá no bom restaurante do cetem, cheguei depois da van, mas tudo bem, o importante foi que cheguei bem depois da van, então não tomei aquele susto de um milhão de pessoas chegarem antes que eu na fila e o trabalho não rendeu muito (tava com muito sono porque estava virado) até que deu uma caminhada e, quando voltei, umas simulações começaram a dar certo (mas fiquei chateado porque deviam ter me falado pra fazer as coisas na protoboard, aquela coisa de adiantar e partir direto pra placa acabou que me atrasou e, naturalmente, vo ouvir, espero que não seja demitido justamente quando a bolsa vai aumentar 20 reais #ESTOURICO) e no momento em que ia render muito mais, sem as aulas (e, possivelmente, com menos aulas no próximo período (espera-se que eletivas não dêem trabalho, mas é o déu…))

Na volta, decidi ousar, superar meu toc, fazer uma babaquice diferente (mudar o caminho tá sendo difícil já que as linhas madureira e zona sul apresentam probleminhas de som ambiente constantemente, o que elimina o 910 e o 485 das maluquices das quais me arrependo), peguei o mesmo caminho de sempre, mas desci na Pau Ferro, e já tinha um pressentimento que isso ia ser uma estupidez sem tamanho, mas tinha um plano B. Só que o que eu não esperava é que ia cair uma tempestade torrencial enquanto esperava infinitamente pelo 732, sem a chance de eu andar até a Três Rios ou até a Geremário, pois chovia muito. Em poucos minutos, a rua estava alagada e os carros aquaplanando. Todos os poucos ônibus que passavam paravam muito bem para os passageiros, algo peculiar, já que a maioria caga, mas nenhum me servia, ali só servia o 732, eu tinha consciência que ia ser uma merda esperar por ele, mas o que me fudeu mesmo foi a chuva. Sem chances de eu sair por ai andando. Fui para um outro ponto de ônibus, dessa vez abrigado. Esperei um pouco, dando uma última chance ao maldito 732, mas já tava na cara o que ia acontecer… Quando ele finalmente chegou, fiz sinal e passou direto. Pirei cara. A mulher deu um aviso delicado, como se servisse pra alguma coisa “o 732 não para mais aqui…” AH É MINHA SENHORA PORQUE EU NÃO TO VENDO NENHUMA PLACA AQUI AVISANDO ISSO, EU NÃO MORO AQUI, EU NUNCA PEGUEI ÔNIBUS AQUI SÓ QUERIA OUSAR UM POUCO NO MEU ÚLTIMO DIA E VIU A MERDA QUE DEU “…mas ele podia ter dada uma chance pela chuva” FODA-SE. Atravessei a rua com o sinal aberto, businaram, ameaçaram me atropelar, veio um ônibus para a centro da Freguesia, eu nem peguei, tava cheio demais, então andei feito um maluco, rápido  e sem olhar cruzamentos até a Geremário. Tinha 10 minutos para o bilhete único e não tava disposto a pagar mais uma passagem e enriquecer essas empresas de merda . Veio um rio das trevas para minha casa, claro que nem na merda eu pego esse ônibus e PARA EVITAR ABORRECIMENTOS, peguei um que deixa perto, mas não exatamente na minha casa, o BOM 346. Consegui bilhetar, mas, para coroar o dia, tinha pagode ambiente. Fiquei bem nervoso, queria perguntar ao cara porque ele simplesmene não põe um fone, acabou que desci 3 pontos antes do que eu queria mesmo, num momento de calmaria, atravessei a rua no pedestre piscando numa velocidade abaixo do que eu normalmente atravessaria e ouvi muitas businas (inclusive um motoqueiro riu quando eu tava iniciando travessia e ele se mandou ainda no vermelho pra ele, mas moto moto né produção) e gente que realmente tá disposta a matar uma pessoa aí pra ganhar alguns segundos preciosos. Mas senhores, é essa a sensação que eu tenho quando vocês avançam o sinal, só que eu não posso passar por cima de vocês! É uma sensação muito pior, de incapacidade, de decepção.  E, já na reta final para minha casa, começou – de novo – a chuver forte, então corri, porque não tava disposto a levar a terceira chuva na cabeça.

Descer na pauferro acabou que foi uma burrice mesmo, podia ter ficado na Geremário esperando o 732 também, se ele não viesse, não ia ter que andar e o plano B ia ser bem mais fácil… Minha estupidez. E tudo isso porque eu queria evitar o aborrecimento de ter como opções os rio das trevas e o BOM 636. E estar num lugar diferente. Antes tivesse descido e ido a pé no rancho verde, como sempre, ia pegar chuva do mesmo jeito e ia o aborrecimento com travessia de sinais já está implícito. Evite ônibus no RJ.

Então fica ai o serviço de informação social de que o ponto na Pau Ferro, em frente ao Wizard, não funciona mais para o 732. Deve ser ponto exclusivo do BRS7, não serve para o corredor Transfreguesia, só para o Transgrajaú (não, essas coisas não existem, estou sendo sarcástico).

pau ferro 

detalhe do ponto de ônibus onde não pára o 732

fica em frente ao Wizard

*ao som de The Outfield (For You), Hall & Oates (Say It isn’t So), Michael Jackson (Bira e The Girl is mine) e Katy Perry (California Gurls e Circle the Drain)

Cardápio da semana

O que está faltando:

Relatório de PI (quase pronto) para amanhã
Artigo de sensores para quinta
Prova de Conversão para quinta
Trabalho de Ling Prog para quando deus quiser

acho que é “só” . Reflitamos, segunda tinha ling prog e conversão de tarde… Terça, sensores, lab de conversão (esse já era),  proc de sinais (também já era); quarta, teo comp (ok), PI (quase lá), trabalho e comp 2 (trancada); quinta, idem idem terça, sem lab de conversão, mas com conversão teórica, às 10 e meia e, finalmente, sexta, era teo comp, ling prog e teria comp 2. É, acho que de toda essa guerra, isso é tudo pessoal. O artigo de sensores, que dará trabalho, parece a pendência mais “tranqüila”, conversão já estudei, mas nunca NUNCA é suficiente e vo ter que estudar tudo de novo … E esse trabalho de Ling Prog, tá complicadíssimo.

Um dia que começou ruim mas até que foi bom

Começamos com andanças e cansaço. Os ônibus cheios, não admito ficar em pé e ainda ter trilha sonora. Não admito, também, pagar mais caro e ter que esperar um tempão. Andei, andei, e mais ônibus cheios. Já ia me batendo um leve desespero , até que veio, finalmente , algo bilhetável com lugar para – a essa altura – descansar. A cena típica de chegar no ponto do segundo ônibus e ver o que veio lá da minha rua, vazio, chegando.  Segundo ônibus, motorista com caixinha de som, tava baixa, mas ainda é putaria isso. Acho que virou padrão da Ideal essas caixinhas, devem distribuir ai pros funcionários no lugar de kit refeição. Todos ficam felizes né. Trocador com pipiprawl. Achei que “é hoje”. Algumas moças bonitas ao redor. É, só essa faculdade mesmo pra eu ver tantas beldades. Ao menos só fiquei em pé no segundo ônibus que chega rapidinho. Chegaria, se não andasse como uma lesma, fazendo 1/3 do caminho na mesma tempo que o primeiro ônibus fez 2/3. Soube, ainda no ponto, da recepção aos calouros. Fiquei lá, me perguntando se deveria ir, lembrei do post sobre a diferença entre o acaso visto pelo homem (sorte) e a mulher (destino), e, isso sendo uma vil oportunidade, deveria explorá-la, apesar de ter quase certeza que não daria em nada. Correria, chamei um amigo (via gmail) para ir no tal evento. Descobri que vou ficar sem receber . Revolta… Incontrolável, mesmo sabendo não ser culpa daquele que me notificava, a culpa é do sistema. A recepção foi diferente do que eu pensava, era com todas as engenharias, muitas pessoas, nada de conhecer os futuros calouros do próprio curso, mas fiquei lá papeando um pouco e foi ok. Encontrei o Ian na hora do almoço e ganhei carona pra voltar ao trabalho. À tarde, não rendeu nada meu trabalho, então decidi fazer algo di diferente, caí fora e me arrisquei ir no LIG e achei de novo o Ian. Arrastei-lho para ir aleatoriamente na Urca, foi bom que passamos pela Ponte do Saber, vi navios enormes e a vista da Perimetral, que pode ter sido a última vez, já que, cedo ou tarde, a gente vai se encontrar ela será demolida. Então papeamos bastante, mais caminhadas (já estava exausto), comi mandioquinha no BOM Giraffas. Voltei pela São Clemente, onde vi pessoas fazendo coisas estranhas (aqueles números de circo de ficar enrolado num pano (procurei por circo pano altura e descobri que o nome é “Tecido”), aparentemente era uma aula disso). Estava à bordo do ônibus estranho de chão rebaixado, as pessoas parecem anãs lá de cima. Por sinal, os dois ônibus que peguei pra voltar (num RÉCORDE de pouco menos de 1 hora e meia) estavam com a roleta errada (524 com 176 e 748 com 732, esse por sinal, trocou o comum pelo raro, vai saber), viajei bastante ouvindo trance, ainda mais com a bela lua nova que estava se exibindo nesta noite.