Jogar no dado, Teoria da Decisão e Nerdices

Sempre lembro disto quando tenho que tomar uma decisão que pode me fuder completamente (e, depois, ficar me lamentando) ou me dar bem. Às vezes cogito jogar na moeda e deixar a cargo da sorte (e não de um planejamento falho meu) as vantagens e desvantagens de uma decisão.

Duas Caras e moeda

Jogando na moeda, menos sofrimento ao tomar decisões e viver a vida

Acabo consumindo muito tempo fazendo decisões triviais e, como aprendi na aula de IA (Inteligência Artificial), uma decisão não é necessariamente a certa, mas é tomada em pouco tempo. E a moeda me pouparia tempo de esperar tal ônibus (faço alguns planejamentos estatísticos na hora de ônibus, mas realmente é aleatório(colocaria uma cena do filme Mary and Max, onde o Max não entende porque os ônibus têm um horário se nunca chegam nesse horário, mas estou deveras atrasado e já estava procrastinando a escrita deste texto para achar essa cena)). E, assim, não me lamentar por, depois de ter esperado por 40 minutos, e só vir ônibus cheios, eu fazer outro caminho mais lento/ir  a pé e ser ultrapassado pelo veículo vazio.

Dia das Crianças

Dia das crianças me lembra super trunfo…

supertrunfo

Super Trunfo

De jogar Star Wars no Master System

Star Wars on Mega Drive

Alho

De procissão e de lembra que, estatisticamente, este ano volta ao furadismo.

 

-terminar  1 livro OK

-ver 10 filmes DEVENDO

-tirar 3 músicas DEVENDO

-engordar 1 kg OK

-terminar 1 trabalho OK

Agora, é intensivão de filmes e posts. Tchau férias

Apenas o nascer de um dia no Rio de Janeiro (possível repost)

Saio de casa ainda com sono, meu cérebro ainda está dando boot, mas não há tempo a perder. Vou caminhando e me deparo com a primeira pichação. Vou começando a acordar para as desgraças do dia, viro uma esquina e me junto a uma pequena multidão andando como zumbis em direção à mesma rua, a estrada principal onde passa o transporte e logo percebo um rádio tocando funk alto, cortando o silêncio. Uma saudação em forma de berro da outra calçada também pode romper o silêncio. São seis da manhã, não acredito ser apropriado uma música dessas e um berro desses. Possivelmente será assim também no transporte. Seguindo em direção à estrada, posso avistar um carro indo pela contramão e outros avançando o sinal vermelho: são 6 da manhã ainda, por que é que deveriam cumprir as leis. É a transição dos sem noção da noite para os estressados da manhã e lá vou eu, me arriscando, desafiando esses dois grupos. Possivelmente serei xingado por atravessar na faixa, ignorando os que avançam o sinal. O transporte passa cheio e você, amaldiçoado pelo conhecimento, sabe que o transporte implementado ali não é adequado. À essa altura eu já estou praticamente acordado e acordo totalmente quando entro na condução e ninguém se oferece para segurar a mochila, então lembro que possivelmente 90% das pessoas sentadas neste transporte são cristãs e vão para a igreja todo domingo se certificar que o reino dos céus é para quem é generoso e solidário. Pelo menos era isso que diziam na época que eu fiz catequese. O Bom dia dado ao motorista não é respondido e o carregamento está completo. Estou 100% acordado e estressado, pronto para um dia, para atrasos e decepções.