Crianças Artistas que não provocam vergonha alheia


Bons anos 80… Enquanto isso, nos anos 2010, as crianças cantam putaria e não ganham nenhum vocabulário com o que cantam.

Anúncios

Um dia digno de nosta

Acordei hoje sem saber se vou me formar nessa semana ou só em Agosto. E, até o presente momento, ainda não sei. Mas resolvi fazer meu ritual de fim-igual-ao-início (TOC?) e peguei meu 910 rumo à Cidaduni. Claro que, sete anos depois, o trânsito piorou, os ônibus vão mais cheios e minha tolerância diminuiu, mas, apesar de ter avistado o 958 (devia ter descido), prossegui no meu TOC. Até Madureira tudo bem, na verdade, até Irajá. Mas já sabia que algo estava pra dar errado, e não foi a cracuda na Edgard Romero tacando uma pedra no ônibus que me indicou isso, foi o motorista do 910, falando ao celular “você só conseguiu chegar no ponto final agora? tô fudido” ou algo assim, a parte do tô fudido certamente ele não falou, mas o tom de voz dava essa impressão. Então, em Vicente de Carvalho, o ônibus ficou parad por 15 minutos, alguns desceram algo longo desse tempo, eu acho que fui na quarta ou quinta leva de desistentes. Segundo um passageiro, só melhorava na Avenida Meriti e, como quão distante dali essa avenida é (agora sei, graças ao Google Maps) e, mesmo que fosse perto, ainda provavelmente teria trânsito no caminho do trem (estação de Olaria), desci e andei até a estação de Irajá, para pegar o metrô. Não era longe dali, na verdade, a parte chata foi torrar 4 reais e 15 centavos à toa. Pelo menos o ar condicionado do metrô tava bom (acho que era um dos novos trens chineses) e não estava absurdamente cheio.  Eis uma animação do meu caminho de hoje:

Jacarepaguá Fundão via Vicente de Carvalho

Sobre a obra da Transcarioca (uma das motivações de pegar esse caminho, além, claro, da coisa romântica e poética de conectar o início ao fim), há um desvio na Rua Cândido Benício, pela Rua Pedro Teles, na altura da Praça Seca, na Rua Barão. O viaduto do mergulhão (lembrando do acidente do 328, mais um provando que, quando as coisas podem dar errado, vão dar errado em 2013) tem a tal proteção que evitaria o desabamento de veículos, assim como, ao contrário do que eu pensava, o já antigo viaduto Negrão de Lima.